Economia & Mercado

Mais de 11 milhões de pessoas ainda não enviaram suas declarações

Imposto-de-Renda-(Marcelo-Camargo_Agência-Brasil)

Segundo dados do último balanço, 11,8 milhões de contribuintes ainda não tinham enviado suas declarações. A expectativa do órgão é de que até 28 de abril – fim do prazo de entrega do documento – 28,3 milhões de contribuintes façam o envio.

A declaração do imposto de renda é obrigatória para quem recebeu rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 no ano passado ou para quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil.

Também deve declarar o contribuinte que obteve, em qualquer mês do ano passado, ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeito à incidência de imposto ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias e de futuros. A Receita Federal alerta que os contribuintes que perderem o prazo estarão sujeitos ao pagamento de multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido.

Quando se trata de atividade rural, é obrigado a declarar o contribuinte com renda bruta superior a R$ 142.798,50; ou que pretenda compensar prejuízos do ano-calendário 2016 ou posteriores; ou que teve, em 31 de dezembro do ano passado, a posse ou propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, cujo valor total seja superior a R$ 300 mil.

Mudanças – Neste ano, a declaração do Imposto de Renda teve uma série de mudanças. As principais são a redução da idade mínima na apresentação do CPF de dependentes (passou de 14 para 12 anos) e a incorporação do Receitanet, programa usado para transmitir a declaração ao programa gerador do documento.

Restituição – A Receita Federal pagará a restituição do IRPF em sete lotes, entre junho e dezembro deste ano. O primeiro lote será pago em 16 de junho, o segundo, em 17 de julho, e o terceiro, em 15 de agosto. O quarto, quinto e sexto lotes serão pagos, respectivamente, em 15 de setembro, 16 de outubro e 16 de novembro. O sétimo e último lote está previsto para ser pago em dezembro. Ao fazer a declaração, o contribuinte deve indicar a agência e a conta bancária na qual deseja receber a restituição. Idosos, pessoas com deficiência física, mental ou doença grave têm prioridade para receber a restituição.

Receitanet – Neste ano, o programa Receitanet foi incorporado ao PGD IRPF 2017, não sendo mais necessária a sua instalação em separado. As restituições começarão a ser pagas em 16 de junho e seguem até dezembro, para os contribuintes cujas declarações não caíram em malha fina.

[T] Portal Brasil

[F] Marcelo Camargo/Agência Brasil

Mercado financeiro espera que inflação feche o ano em 4,04%

Mercado-(Tânia-Rêgo_Agência-Brasil)

O mercado financeiro espera que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fique em 4,04% este ano. Essa é a sétima redução seguida na projeção, de acordo com pesquisa semanal – Boletim Focus – do Banco Central (BC) feita junto a instituições financeiras e divulgada às segundas-feiras, em Brasília. A estimativa da semana passada era 4,06%.

Com a inflação em queda e a economia em recuperação, a expectativa para a taxa básica de juros, a Selic, ao final de 2017, é 8,5% ao ano. Essa também é a projeção para o final de 2018 (8,5% ao ano). Atualmente, a Selic está em 11,25% ao ano.

Reflexos nos preços – A Selic é um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e a inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação.

A projeção de instituições financeiras para o crescimento da economia (Produto Interno Bruto – PIB – a soma de todas as riquezas produzidas pelo país) foi ajustada de 0,40% para 0,43%, em 2017. Para o próximo ano, a projeção segue em 2,5% ao ano.

[T] Kelly Oliveira/Agência Brasil

[F] Tânia Rêgo/Agência Brasil

Começa quarta-feira o 29º. Seminário Nacional de Cebola e 20º. Seminário de Cebola do Mercosul

 

Plantação-de-Cebola

Ela gera 70 mil empregos diretos e indiretos na região, atinge cerca de 172,1 mil toneladas  e movimenta a economia do Vale do São Francisco em R$ 500 milhões por ano. Não à toa, terá em sua homenagem, nesta quarta-feira (26), às 9h, a abertura oficial da 29ª edição do Seminário Nacional de Cebola e 20º Seminário de Cebola do Mercosul, no auditório da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Juazeiro, no norte da Bahia.

Além da participação de especialistas, empresários e professores dos estados produtores de cebola, países como Argentina e Uruguai também garantiram presença no evento, que neste ano vai até o dia 28 e está com uma grande programação.  Ao todo, 13 palestras mais uma visita de campo à área do Projeto Salitre, na Zona Rural de Juazeiro, fazem parte do cronograma.

Programação – Depois da abertura (9h), o catarinense Daniel Schmitt vai liderar a primeira palestra do dia, às 11h, cujo tema será “Mercado de Cebola do Mercosul”. Seguido, às 14h, do palestrante Valter Rodrigues, que falará sobre “Melhoramento genético da Cebola na Embrapa”. Ainda no dia 26, o público poderá conferir as palestras: “Nutrição eficiente para altas produtividades”, às 15h; “Cultivo de cebola por semeadura direta”, às 16h20; e “Produção sustentável de cebola”, às 17h. Concluindo o primeiro dia, os visitantes participam, às 17h40, de uma assembleia com o presidente da Associação Nacional dos Produtores de Cebola (ANACE), Antônio Carlos Pagano.

Na quinta-feira (27), as palestras começam logo cedo. Já a partir das 8h20 será realizada uma discussão sobre o “Armazenamento de Cebola Longa Vida”. Às 9h, o tema será “Desafios da produção de sementes de cebola no semiárido” e, a partir das 10h, os produtores vão debater a “Bacia do São Francisco – recomposição e defesa”. Já a aguardada palestra “Melhoramento genético da cebola para clima tropical trás benefícios para produtores” está prevista para 11h.

CebolaO quadro de debates do Seminário da Cebola segue à tarde. A “Irrigação por gotejamento – tecnologia para alto rendimento da cebola” iniciará às 14h, porque às 15h o palestrante Guilherme Ogata, da empresa Arysta, ministra o “Manejo produtivo da cultura da cebola”. Ainda às 16h20, um Painel dos Estados e do Mercosul apresenta aos produtores da região dados de produção de cebola e consolidação do quadro de oferta. O painel terá a presença de representantes dos países e estados participantes do evento.

A coordenação do seminário separou para o último dia, na sexta-feira (28), a visita de campo à área do Projeto Salitres, que acontecerá às 8h, onde estrangeiros e especialistas vão tomar conhecimento das atividades e projetos desenvolvidos no Vale do São Francisco.

Inscrições – As inscrições são gratuitas e estão abertas por tempo limitado. Acesse o site e se inscreva:www.seminarionacionaldecebola.com.br. Mais informações através da coordenação do evento, pelo telefone: (87) 3862-1892.

O 29º Seminário Nacional de Cebola e 20º Seminário de Cebola do Mercosul é uma realização da Associação dos Produtores de Cebola do Médio São Francisco (Aprocesf), Associação Nacional dos Produtores de Cebola (Anace) e Embrapa.

[F] Clas Comunicação

Contas e carnês com vencimento na sexta poderão ser pagos na segunda

contas-eleitoraisAs agências bancárias de todo o país não funcionarão no feriado nacional desta sexta-feira (14), quando se celebra a Sexta-Feira da Paixão, conforme informou a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). De acordo com a Febraban, as contas de consumo (água, luz, telefone e TV a cabo) e os carnês com vencimento nesta data poderão ser pagos no próximo dia útil, segunda-feira (17), sem incidência de multa.

O mesmo ocorrerá no feriado de Tiradentes, comemorado no dia 21 de abril. Nessa data, as contas poderão ser pagas no dia 24. A Febraban explica que normalmente os tributos já estão com data ajustada pelo calendário de feriados, sejam federais, estaduais ou municipais.

Agendamento – A população poderá usar os canais alternativos de atendimento para realizar operações bancárias, como caixas eletrônicos, internet banking, banco por telefone e correspondentes.

Os clientes também podem agendar o pagamento das contas de consumo ou pagá-las nos próprios caixas automáticos. Já os boletos bancários de clientes cadastrados como sacados eletrônicos poderão ser agendados ou pagos via Débito Direto Autorizado (DDA).

[T] Mariana Tokarnia/Agência Brasil

Celpe anuncia investimentos durante reunião na FIEPE, em Petrolina

Reunião-_-Fiepe

O gerente regional da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), Evandro Simões, anunciou segunda-feira (10) investimentos na ordem de R$ 27 milhões para o município de Petrolina no ano de 2017. Os recursos foram revelados durante reunião do Conselho Empresarial da Federação das Indústrias de Pernambuco (FIEPE) e serão destinados a ampliação da rede de distribuição e na construção da subestação Petrolina III.

De acordo com o gerente, que está na região há três meses, a companhia vem apresentando um crescimento substancial de investimentos a cada ano. “Em 2015, investimos em obras no município cerca de R$ 16 milhões e em 2016 esse valor cresceu para R$ 24 milhões. Investimos forte também em manutenção preventiva, com inspeções, podas de árvores e correções de potenciais falhas na rede”.

Evandro Simões enfatizou ainda que os resultados obtidos com os planos de investimento e de manutenção preventiva são respostas à nova filosofia da companhia: ‘ser mais ágil, fazer mais fácil e estar mais próximo’. Após a palestra, o representante da Celpe respondeu algumas questões levantadas pelos conselheiros da FIEPE.

Depois de narrar vários problemas ocorridos devido a atrasos da companhia, o conselheiro e representante do segmento de construção civil, Alexandre Araújo, declarou: “Com a implantação desse novo modelo, quando temos aqui uma gerência regional de operações de fácil acesso, creio que estamos diante de uma das melhores notícias para o setor produtivo de Petrolina e região”, finalizou Alexandre Araújo.

Contribuintes pagaram este ano R$ 603 bi em impostos, taxas e contribuições

Juros-(Marcos-Santos-USP-Imagens)

Os brasileiros já pagaram este ano R$ 603 bilhões em impostos, taxas e contribuições às três esferas do Poder Público (município, estado e União), segundo dados do Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Ao longo de 2016, o total recolhido atingiu R$ 2 trilhões, o maior volume já registrado e a expectativa da Associação Comercial é de bater um novo recorde este ano.

“A arrecadação começa a subir à medida que a recessão perde força. Esperamos que a intensificação da queda da taxa básica de juros traga estímulos maiores para que a economia cresça mais rapidamente”, disse Marcel Solimeo, superintendente da ACSP.

[T] Marli Moreira/Agência Brasil

[F] Marcos Santos USP Imagens

Inflação para famílias com renda até 2,5 salários mínimos é de 4,24% em 12 meses

Compras-(Foto-Tânia-rego)

Em todo o país, o Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que mede a inflação para famílias com renda até 2,5 salários mínimos, ficou em 0,56% em março. A taxa é superior ao 0,07% de fevereiro. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o IPC-C1 acumula taxas de 1,18% no ano e 4,24% em 12 meses.

A taxa do IPC-C1 em março ficou abaixo do Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda e que ficou em 0,47% naquele mês. No acumulado de 12 meses, no entanto, a taxa do IPC-C1 ficou abaixo dos 4,55% do IPC-BR.

Preços de alimentos sobem – O avanço do IPC-C1 entre fevereiro e março foi impulsionado por acréscimos nas taxas de cinco das oito classes de despesa que compõem o índice, com destaque para alimentação, que passou de uma deflação (queda de preços) de 0,45% para uma inflação de 0,60%, e para habitação, cuja taxa cresceu de 0,27% para 1,22%.

Também tiveram alta na taxa do IPC-C1, as classes de despesa saúde e cuidados pessoais (de 0,32% para 0,61%), vestuário (de -0,37% para 0,11%) e despesas diversas (de 0,36% para 1,01%).

Três classes de despesa tiveram queda na taxa: transportes (de 0,72% para -0,15%), comunicação (de -0,02% para -1,53%) e educação, leitura e recreação (de 0,67% para -0,19%).

[T] Vitor Abdala/Agência Brasil

[F] Tânia Rego/ Agência Brasil

IPC-S sobe em seis capitais entre fevereiro e março

comercio-foto-arquivo-ebc

A inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), aumentou em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), entre fevereiro e março. A maior alta foi observada no Rio de Janeiro: 0,48 ponto percentual, ao crescer de 0,27% em fevereiro para 0,75% em março.

Outras cinco capitais com alta na taxa foram Recife (0,35 ponto percentual, indo de 0,19% para 0,54%), Belo Horizonte (0,27 ponto percentual, ao passar de 0,22% para 0,49%), Brasília (0,22 ponto percentual, ao passar de 0,16% para 0,38%), São Paulo (0,09 ponto percentual, de 0,22% para 0,31%) e Porto Alegre (0,07 ponto percentual, de 0,45% para 0,52%).

A única capital com queda na taxa entre fevereiro e março foi Salvador, onde a inflação recuou 0,31 ponto percentual, caindo de 0,64% para 0,33%.

[T] Agência Brasil

[F] Arquivo/EBC

Para CNT reoneração vai gerar demissões em massa no setor de transporte

edificiocnt-(Imprensa-CNT)

A partir de agosto, os setores de transporte rodoviário de cargas, ferroviário de cargas, aéreo de cargas e de passageiros, marítimo e o de armazenamento de contêineres não terão mais acesso à desoneração da folha de pagamentos. A alteração integra um conjunto de medidas anunciadas pelo governo federal nessa quarta-feira (29) para recuperar o rombo de R$ 58,2 bilhões no orçamento.

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) emitiu nota em que faz uma avaliação da decisão do governo federal. Para a instituição “a reoneração da contribuição previdenciária, se aprovada pelo governo federal, vai gerar demissão em massa no setor transportador, que, no ano passado, teve que fechar mais de 90 mil postos de trabalho devido à grave crise econômica do país”.

Confira a nota na íntegra:

A reoneração da contribuição previdenciária, se aprovada pelo governo federal, vai gerar demissão em massa no setor transportador, que, no ano passado, teve que fechar mais de 90 mil postos de trabalho devido à grave crise econômica do país”. A retração no PIB do transporte foi de 7,1% em 2016, sendo o pior resultado entre os setores produtivos.

Além disso, a medida vai gerar aumento significativo da inflação, principalmente na área de mobilidade urbana.  Na avaliação do presidente da CNT (Confederação Nacional do Transporte), Clésio Andrade, “a reoneração penaliza o setor produtivo, que é fundamental para a reativação da economia brasileira”.

Clésio Andrade destaca ainda que o transporte é essencial para qualquer atividade. “Fazemos a movimentação de trabalhadores e transportamos toda a produção do país, desde os insumos aos bens finais.”

A reoneração aumentará significativamente o custo da prestação dos serviços de transporte e impactará o preço dos bens de produção nacional, com reflexo direto sobre a mesa do trabalhador. Isso será decisivo para a redução da renda da população, já comprometida pela crise e pelo elevado nível de desemprego do país. “Sem o transporte, o Brasil para. Os impactos da reoneração atingirão tanto a área de cargas quanto a de passageiros”, diz Clésio Andrade.

Vendas do varejo de material de construção crescem 10% em março

Contrução .

As vendas no varejo de material de construção cresceram 10% no mês de março, na comparação com fevereiro. Com relação à março do ano passado, o desempenho foi 12% superior. Os dados são da Pesquisa Tracking mensal da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), que entrevistou 530 lojistas entre os dias 28 a 31 de março.

De acordo com o relatório, no primeiro trimestre do ano, o setor apresenta crescimento de 4% sobre o mesmo período do ano passado. “Nos últimos 12 meses, o desempenho é negativo de 5%, mas os resultados vem indicando que estamos iniciando uma recuperação, depois de dois anos super difíceis, o que nos dá a certeza de que estamos no caminho certo para retomar o crescimento”, declara Cláudio Conz, presidente da Anamaco.

Segundo ele, com o início da Feicon Batimat, principal evento do setor no ano, que acontece de 04 a 08 de abril no São Paulo Expo, o ano só tende a melhorar para o setor. “Mais de 60 mil lojistas de todo o país devem visitar o evento, que é a principal vitrine do nosso segmento, com mais de 2 mil lançamentos anualmente. A antecipação de negócios gerada na feira esse ano deve superar os R$ 500 milhões, ajudando a movimentar ainda mais a nossa cadeia produtiva”, explica.

De acordo com o a pesquisa da Anamaco, todas as regiões apresentaram resultados favoráveis em março, comparado com o mês de fevereiro. “Com o fim do período de matrículas escolares e de pagamento de impostos como o IPVA, as pessoas voltam a focar seus esforços na reforma da casa. Além disso, a previsão é que em abril saia o primeiro edital do Cartão Reforma, de R$ 100 milhões, iniciando em maio a distribuição na primeira cidade, que será Caruaru, no Ceará. Depois disso, será um edital por mês, até atingir o teto de R$ 1 bilhão em 2017. Isso deve ter um impacto muito positivo no nosso setor, e a nossa previsão é de fechar o ano com crescimento de 5% sobre o ano passado, recuperando as perdas de 2016”, completa o presidente da Anamaco.

Apesar dos números positivos em março, diminuiu o otimismo do setor com relação às ações do Governo nos próximos meses (de 54% para 45%). Já 37% dos entrevistados afirmou que pretende fazer novos investimentos em 2017 e diminuiu de 16% para 13% a intenção de contratar novos funcionários já no mês de maio.

Os lojistas também esperam que o setor recue um pouco no mês de abril. “Março foi um mês com muito mais dias úteis do que fevereiro, e como fevereiro sempre é um mês muito ruim, a probabilidade é de termos um desempenho mais discreto nos mês que se inicia”, finaliza Conz.

[F] Divulgação