Magno Martins

Coluna de Magno – 24/11/2012

Fome, sede e fila

Programas sociais de emergência, como Bolsa Estiagem, Garantia Safra e Chapéu de Palha têm constituído uma espécie de tábua de salvação para os sertanejos que sofrem com a maior estiagem dos últimos 50 anos. Segundo dados de um relatório do Governo do Estado, enviado ao blog pelo secretário de Agricultura Ranilson Ramos, o Bolsa Estiagem beneficia 86.792 famílias, enquanto o Garantia Safra assiste 102 mil, ambos do Governo Federal. No âmbito estadual, o Chapéu de Palha (reedição do programa histórico de Miguel Arraes, avô de Eduardo), mais abrangente, cobre 182 mil famílias.

Para quem tem fome e sede, pequenos valores (a parcela do Chapéu de Palha, por exemplo, é de R$ 70) podem ser de grande ajuda. Desde que cheguem às mãos da população. Não é o caso em São José do Egito, como registrou a pena afiada do blogueiro ontem. No município do Sertão do Pajeú, credenciados relataram mais de dez horas de espera, muitos embaixo do sol inclemente, para receber parcelas do Bolsa Estiagem e do até do Bolsa Família – que não vieram.

Até o fechamento da reportagem, ontem, a Caixa e o Banco do Brasil, responsáveis pelos pagamentos, não se pronunciaram. As informações, extraoficiais, eram de que simplesmente não havia dinheiro suficiente em caixa. Pouco antes, o blogueiro teve notícia de que alguns locais chegam a trocar tapas na fila para abastecer baldes.

Pelo menos ontem, a tábua de salvação dos sertanejos virou um golpe de misericórdia. Sem água, sem comida e sem Bolsa Família, os egipcienses não podem esperar que o dinheiro caia do céu. Afinal, naquela terra, nenhum pingo cai mais.

De fato, dinheiro não cai do céu. O problema é que, do céu do sertão, nem água cai mais.

 

Transparência – Afinado com Aécio Neves (PSDB-MG), o presidente nacional do partido, Sérgio Guerra, defendeu a decisão do recém-empossado presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, de acelerar os depoimentos do mensalão mineiro. Depois do senador ter negado que as denúncias tivessem “coloração partidária”, na ação que envolve o deputado federal e ex-senador Eduardo Azeredo, Guerra disparou: “Não procurem o PT no PSDB, porque não vão encontrá-lo”.

Espírito esportivo – Roberto Jefferson (PTB) já provou ter muito senso de humor – negro, aliás. Ontem, pelo Twitter, mostrou que tem, ainda, “espírito esportivo”. Condenado pelo relator Joaquim Barbosa no julgamento do mensalão (por corrupção passiva), o trabalhista postou em seu perfil: “(O) país está diferente e, principalmente, está melhor, para satisfação de todos. Desejo sorte ao presidente Joaquim”.

Ruído verde – O vice-presidente do PV em Jaboatão, Waldir Benevides, enviou nota ao blog afirmando que o presidente do partido no município, Roberto Santos, defende o afastamento do PV do Governo Elias Gomes (PSDB), iniciativa endossada por Benevides. O vice-presidente alega “falta de respeito” por parte da Prefeitura, cujo enxugamento de quadro, atingindo comissionados, incomodou os verdes.

CURTAS 

Assoreamento – A população de Serra Talhada está preocupada com o assoreamento do açude Borborema, atingido pela estiagem e poluído. Apesar da Prefeitura ter proibido os pipeiros de captarem água no açude, o manancial ainda pode secar por ação da estiagem.

Equilíbrio – O rigor do Tribunal de Contas da União, cujas recomendações quase provocaram um êxodo maciço de técnicos do Ministério da Integração Nacional deve ser louvado, desde que o órgão não deixe de levar em conta, por outro lado, o caráter emergencial de determinadas obras.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Quando Dilma vai pisar no Sertão para encarar de perto a maior estiagem dos últimos 50 anos?

Thiago Lins (Interino)

Coluna de Magno – 23/11/2012

A profecia do São Francisco

A transposição do São Francisco nunca foi um consenso. Embora a ideia seja praticamente secular (durante a vigência de D. Pedro II já era defendida como alternativa à seca), tendo sido ainda considerada por Governos tão distantes quanto Getúlio Vargas (que retomou a discussão em 1943) e Fernando Henrique Cardoso, foi na Era Lula que começou a ganhar forma, com as obras iniciadas em 2007.

Naquele ano, a discussão em torno do empreendimento já era acalorada, porém genérica. Não se debatiam consequências para regiões específicas, algo então inconcebível naquele contexto, dada a dimensão faraônica da obra. As queixas daquele tempo diziam respeito a um eventual dano na produção de energia, já que a grande maioria da energia no Nordeste provém das hidrelétricas que aproveitam o Velho Chico – a retirada de água, portanto, causaria uma queda, vista como irrisória pelos defensores do projeto.

Já o impacto ambiental era minimizado pelo Ibama, que considerava que os benefícios eram maiores, enfatizando a revitalização dos trechos poluídos. Os defensores ainda achavam os açudes subutilizados, alertando para a evaporação, potencializada pela água parada. Contudo, a “subutilização” das águas tinha uma razão clara: o medo de que os açudes secassem – pesadelo que virou realidade na fronteira de Pernambuco com o Ceará. Lá, com a paralisação das obras de um canal, o açude do Oliveira – único a abastecer o distrito pernambucano de Montevidéu – secou. Não sobrou um pingo dos antigos 10 milhões de litros de água, levando o lugar uma situação única em seus 80 anos. Realizada a profecia do São Francisco, Montevidéu não tem mais água nem esperança.

Em 2007, o bispo Luiz Cappio fez greve de fome contra a obra, num caso que ganhou repercussão nacional. À época, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota, em prol da preservação do meio ambiente. Passados cinco anos, a transposição, como o blogueiro revelou, tem um lado mais pernicioso do que se imaginava – ao menos na fronteira com o Ceará. E, por pior que seja a situação, ninguém ali faz greve de fome em protesto. Na maior estiagem dos últimos 50 anos, a fome vem de todo jeito. E a sede também, com mais força ainda.

 

Destaque 1 – Novamente, a série sobre a seca foi repercutida no Congresso, desta vez pelo deputado federal Inocêncio Oliveira, que parabenizou o blogueiro na Sala das Sessões, na última terça-feira. Sertanejo do Pajeú, Inocêncio destacou o trabalho do blogueiro como “um dos mais brilhantes e competentes, a nível regional e nacional”.

Destaque 2 – O pecuarista Djalma Cidrim, de Serrita, que perdeu mais de 200 cabeças de gado em 40 dias, foi um dos personagens da série Jornal Nacional no Ar, exibida durante o programa homônimo da Globo. O drama de Djalma foi revelado pelo blog, cuja repercussão propiciou o envio de sete toneladas de milho para o pecuarista, autorizado pelo gerente de operações da Conab no Recife, Elizaldo Sá.

Reunião – Depois de promover um grande expediente na Alepe sobre a crise no setor sucroalcooleiro e organizar uma reunião do setor com o governador em exercício João Lyra Neto (PDT), o deputado estadual Aluisio Lessa (PSB) articula para o dia 3 de dezembro uma reunião entre a Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP), Sindicato dos Cultivadores de Cana, Sindaçúcar, Ipa, Fetape e outros envolvidos com integrantes da bancada federal de Pernambuco. O encontro acontecerá às 10h30, no auditório da AFCP.

CURTAS

Privilégio – Leitores têm enviado queixas ao blog relatando que a distribuição de milho aos pequenos pecuaristas tem sido desigual. Alguns produtores, privilegiados, teriam chegado a receber mais de dez toneladas.

Recorde – O blogueiro ontem enviou foto à redação com o termômetro registrando 41 graus, na fronteira de Pernambuco com o Ceará. Mal tinha matado a sede quando chegou na comunidade quilombola de Conceição das Crioulas, em Salgueiro, onde definhou sob o calor de 49 graus.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – O que os defensores da tranposição têm a dizer sobre o fim do açude do Oliveira?

Thiago Lins (Interino)

Coluna de Magno – 17/11/2012

Avanços sociais e digitais em risco

Ao longo da semana, petistas do Recife debateram a manutenção do Orçamento Participativo (OP), uma vez que há queixas na Câmara, de que o prefeito João da Costa teria priorizado as indicações dos delegados do programa, em detrimento dos pleitos dos parlamentares.

A discussão se deu após o aceno positivo dos aliados do prefeito eleito Geraldo Julio (PSB) para a Lei Liberato, que garante 10% do orçamento municipal para que sejam feitas obras indicadas pelo Legislativo. Na matéria do Jornal do Commercio de ontem (16), o vereador Jurandir Liberal saiu em favor do OP. Contudo, defendeu, também, a reavaliação do voto via web.

De acordo com o vereador, o processo “deforma o resultado, pela insegurança que a internet traz”. Uma reavaliação de fato seria positiva. Mas, falando em “deformação de resultado”, o petista soou mais inclinado a banir o processo do que propriamente reavaliar.

Donos de maior trânsito junto a comunidades (que os elegem), é legítimo que os vereadores reivindiquem mais recursos para seus pleitos, mas isso não deve se sobrepor à participação popular. O poder não deve ser limitado ao Estado; há relações de cooperação que devem ser mantidas, sendo a internet uma plataforma basilar para tanto.

Hoje, é na web que se decidem as relações entre o poder e a sociedade, bem mais horizontalizadas do que eram antes do advento. Nesse sentido, o OP, por permitir a participação virtual (e popular também) foi pioneiro. Sim, há falhas na web. Assim como há, inclusive, em nossa superestimada democracia. Mas nem por isso devemos ignorar a força da rede – bem como não devemos voltar a uma ditadura.

Interinidade – A participação da presidente Dilma Rousseff (PT) na Cúpula Ibero-Americana, na Espanha, somada à viagem do vice-presidente Michel Temer (PMDB) à Alemanha, gerou uma situação excepcional. Terceiro na linha sucessória da República, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT), assumiu a Presidência interinamente. Prontamente, sua assessoria divulgou uma foto de Maia, posando ao telefone, no gabinete presidencial: Maia foi picado pela mosca azul.

Poço de mágoas – Esse é o sentimento de Sérgio Leite (PT). O deputado, que concorreu à Prefeitura do Paulista (perdeu para o socialista Matuto), sentiu-se abandonado pelo seu partido. Segundo amigos próximos de Leite, o senador Humberto Costa tinha lhe dado garantias de apoio. Mas, ao fim e ao cabo, Sérgio diz , em alto e bom som, que “Humberto não ajudou em nada”.

Vai vingar? – A recriação da Arena, encabeçada pela estudante gaúcha Cibele Bumbel, de apenas 22 anos (talvez tanta juventude justifique seu delírio) não tem respaldo algum, pelo menos entre as antigas lideranças locais do partido. E deve continuar sem ter Brasil afora. Lançar-se hoje defendendo velhas ideias é suicídio político. Sem falar que a extremista sonhadora se diz contra o regime de cotas, mas a própria é bolsista do ProUni. O partido já nasceria velho, liderado por alguém que já se mostrou incoerente.

CURTAS

Tamanho da briga – A recente derrota imposta pelo tucano Daniel Coelho ao Governo, em meio a uma oposição dizimada, lembra um ditado: não importa o tamanho do cachorro na briga, mas sim o tamanho da briga no cachorro.

Esperança – Como mostrou o blogueiro ontem, funcionários da Usina Catende, sem receber há muitos meses, renovaram a esperança com a venda da usina.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Caso o Orçamento Participativo seja extinto, como as comunidades poderão fazer suas reivindicações diretamente?

Coluna de Magno – 15/11/2012

“O STF está mudando a cultura do País”.

(Presidente do STF, Carlos Ayres Britto, ao comentar o resultado do julgamento do mensalão)

Jornalismo a serviço do povo

Nunca uma série de reportagens mostrando o rastro de destruição da seca, feita por este blogueiro em 2,2 mil km percorridos, repercutiu tanto, gerando efeitos de imediato. Duas horas após a postagem da dizimação de mais de 200 cabeças de gado do rebanho do pecuarista Djalma Cidrim, em Serrita, a Conab remeteu sete mil toneladas de milho, na tentativa desesperada para salvar o restante do seu plantel de 400 reses, das quais metade morta pela fome. No Congresso, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) e o deputado Gonzaga Patriota (PSB) pediram a transcrição nos Anais do Senado e da Câmara. Ontem, a Compesa informou que acelerou a instalação da rede de abastecimento da fazenda onde nasceu Luiz Gonzaga, em Exu. Este blogueiro, no roteiro que cumpriu pelo Araripe, também esteve na terra do rei do baião e constatou que as comemorações do seu centenário podem se traduzir num grande fiasco por causa dos efeitos da mais longa estiagem dos últimos 50 anos. Na primeira quinzena de dezembro milhares de turistas pisarão em solo da terra de Gonzagão para homenageá-lo, inclusive grandes nomes da MPB nacional. E, hoje, não há água nas torneiras, porque as reservas da Compesa secaram e o sistema entrou em colapso.

NA ZONA DA MATA– Hoje e amanhã, este blogueiro percorre também a Zona da Mata pernambucana. Ali, 12 mil produtores de cana terão uma redução de aproximadamente 35% da safra por conta da seca. Além dos problemas naturais provocados pela estiagem, o setor ainda convive com a desvalorização de 15% no valor de mercado do preço da matéria prima do açúcar e etanol. Já são oito meses de estiagem na zona canavieira, tendo ocorrido à última chuva em marco.

Dinheiro pela janela

Como se previa, os prefeitos perderam tempo e gastaram dinheiro a toa na marcha a Brasília. Recomendada pela presidente Dilma para receber uma comissão dos gestores municipais, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) acenou com a rolagem das dívidas previdenciárias, o que, na prática, não resolve o drama municipal.

Desagravo a Dirceu

O diretório nacional do PT vai se reunir em Brasília, nos dias 4 e 5 do próximo mês, para um desagravo na presença do ex-ministro José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares. Será divulgado um documento crítico ao STF e à Imprensa, por terem transformado, o que consideram um “erro eleitoral” em um escândalo de corrupção sem precedentes no País.

Lula de fora

A maioria petista considera que as condenações e as penas são injustas e motivadas apenas por disputa política. Estão sendo convocados os 80 integrantes do diretório, mas não está confirmada a presença do ex-presidente Lula. Quanto à presidente Dilma, os petistas dizem que sua atribuição é governar.

Novo FPM

Segundo informa Ilimar Franco, de O Globo, os líderes no Senado vão pedir ao presidente do STF, Ayres Britto, mais um ano de prazo para elaborar a nova lei de distribuição do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e dos Municípios (FPM). A prorrogação tem a simpatia do Governo Dilma. Se ela não for concedida, Estados e Municípios ficarão sem esta receita em 2012.

CURTAS

CRISE EM DEBATE– Por iniciativa do deputado tucano Claudiano Martins, a crise nos municípios em Pernambuco, decorrente do corte no FPM, será debatida numa ampla audiência pública no plenário da Assembleia Legislativa com a participação de secretários estaduais, do MP e do Poder Judiciário.

DILMA NO NE – O ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho, garante que, em dezembro, a presidente percorrerá algumas áreas do Nordeste atingidas pela seca. “Ela já esteve na Bahia, inaugurando uma adutora, e deve passar por Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte”, disse.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Sem ajuda federal, os prefeitos nordestinos conseguirão pagar o 13º salário?

Coluna de Magno – 14/11/2012

“O jornalista mostrou uma realidade cruel e real. O Governo tem que fazer mais pelo sertão”.

(Deputado Gonzaga Patriota ao pedir, ontem, a transcrição da série de reportagens deste colunista sobre nos Anais da Câmara)

Dirceu não entrega Lula

Num País em que cadeia é lugar apenas de pobre, negro e ladrão de galinha assistir ao desfecho do julgamento do mensalão, no qual o principal protagonista, o ex-ministro José Dirceu, sai condenado a 10 anos e 10 meses de reclusão, é um avanço e tanto. Mas as contas da justiça, quando traduzidas para a massa do povo brasileiro, nunca aumentam. Dirceu não fica preso por 10 anos e 10 meses, mas por um ano e nove meses. Dá para entender? Por mais que os juízes da execução penal se expliquem, mais embaralhada fica a compreensão da gente comum, que não entende de lei nem de Direito. O que impressiona também é a fidelidade canina do ex-capitão do time de Lula ao ex-chefe. Em nenhum momento fez ameaças, como Marcos Valério e Delúbio Soares. Comporta-se com a mesma firmeza e postura de cão de guarda do tempo em que despachava ao lado do gabinete de Lula, a quem informava de tudo sobre o esquema do mensalão. Não existe, é verdade, nenhuma decisão que, neste escândalo, o ex-ministro não tenha compartilhado com o chefão, aquele que disse e repetiu que nunc a tomou conhecimento do que era mensalão, mentindo e enganando o povo brasileiro.

OTIMISMO– O senador Armando Monteiro acolheu, ontem, uma penca de prefeitos em seu gabinete que foram a Brasília pressionar o Governo por  compensações aos municípios pelas perdas ocasionadas pelos cortes nos repasses constitucionais. “O encontro com a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) foi produtivo e, certamente, os prefeitos não deram a viagem perdida”, disse Armando, referindo-se as medidas para minimizar a crise na base municipal.

Opção pela morte

A frase que mais repercutiu, ontem, na mídia nacional, é do ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, ao comentar a situação precária dos presídios brasileiros: “Se fosse para cumprir anos de cadeia nos presídios do Brasil eu preferia morrer”.

Aceno aos municípios

Pré-candidato ao Planalto, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) aproveitou o desfile de 1,5 mil prefeitos, ontem, em Brasília, para sinalizar que está no páreo. Sabendo da penúria vivida pelos municípios acusou a União de concentrar recursos para prejudicar Estados e Municípios. “Em saúde e saneamento, a União só investe 31,6% contra 68,4% dos municípios. Teria que ser ao contrário”, pregou.

Fim das barracas

As barracas de bebidas ilegalmente instaladas na praia de Maracaípe serão retiradas a partir da próxima quinta-feira, segundo determinou, ontem, a Prefeitura de Ipojuca cumprindo solicitação do Ministério Público Federal. Até lá, os vendedores terão que recolher tudo que vendem. Os trabalhos de demolição serão de responsabilidade da Prefeitura.

Voo para Petrolina

A companhia aérea Azul começou a operar um novo voo ligando Petrolina a Campinas (SP), com escala em Salvador. Já a partir de 14 de dezembro, a Avianca inaugura o voo de Petrolina para Brasília. O prefeito Júlio Lóssio (PMDB) cobrou em Brasília, ontem, a ampliação nas áreas de embarque e desembarque do aeroporto do município.

CURTAS

REAPARECEU– Marco Maciel não deixou a vida pública. Tem dedicado parte do seu tempo ao DEM nacional. Ontem, foi visto na Associação Comercial de São Paulo, ao lado de Jorge Bornhausen e Guilherme Palmeira, cardeais democratas, assistindo a uma palestra do governador da Bahia, Jacques Wagner.

REPERCUSSÃO– Nos últimos dias tenho recebido dezenas de manifestações carinhosas e de aplausos pela iniciativa de percorrer a área atingida pela seca no Estado. É isso que nos dá o combustível para continuar a jornada na próxima semana, desta feita pelo Vale do São Francisco.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Quem acredita que José Dirceu veja mesmo o sol quadrado por um ano e nove meses?

Coluna de Magno – 13/11/2012

“Venho mais a Câmara ainda sem ser vereador do que Marília”.

(Vereador eleito no Recife Raul Jungmann (PPS) ao rebater as críticas de vereadora Marília Arraes (PSB))

Dilma tampa os ouvidos

Prefeitos pernambucanos fizeram um protesto, ontem, fechando os seus gabinetes e as próprias prefeituras, mas o movimento fracassou. Anunciado para contar com a participação de 100 municípios recebeu a adesão de pouco mais da metade. Na Região Metropolitana do Recife nenhuma Prefeitura aderiu ao protesto, com o objetivo de expor o Planalto. A presidente Dilma vem negando pão e água aos gestores municipais, que esmoleiam por Brasília de pires nas mãos e não veem, infelizmente, a mão solidária estendida por parte da União. Hoje, em Brasília, prefeitos dos mais distintos recantos do País se unem num novo protesto, mas a voz deles parece ecoar no deserto. Dilma não é política, não é nordestina e não tem sensibilidade. Seus ouvidos não têm cera, que dificultam a audição quando se acumula. Têm mais do que isso, permanentemente, um tapa-ouvido artificial, daqueles que usa para as viagens internacionais de longa distância, certamente para ignorar o ranger dos dentes de uma categoria marginalizada, que por situações criadas pela própria presidente administram massas falidas.

RECEITA– Presidente da Codeam e um dos organizadores do protesto dos prefeitos, ontem, Eudson Catão (PSB), em fim de mandato em Palmeirina, já esperava a falta de solidariedade dos colegas gestores da Região Metropolitana. “Eles vivem outra realidade. Certamente, devem estar com os caixas cheios”, ironizou. Na verdade, boa parte dos municípios do Grande Recife tem saída para enfrentar a crise, encontrada num mínimo de receita própria.

Desperdiço de água

A adutora de Ibimirim, no Sertão, do sistema Umburanas, sofreu um rompimento e jorra água há cinco dias entre Cruzeiro do Nordeste e Arcoverde, desperdiçando a água que está faltando para saciar a sede de milhares de famílias. E até ontem a Compesa não havia tomado nenhuma providência.

Mais uma indústria

No primeiro dia de mais uma interinidade por 15 dias em decorrência das férias do governador Eduardo Campos, o governador em exercício João Lyra Neto (PDT) inaugurou, ontem, a fábrica Nissin-Ajinomoto, de macarrão instantâneo, em Glória do Goitá. Trata-se de um investimento de R$ 46 milhões, com capacidade para produzir 600 pacotes de macarrão por minuto.

Recado aos colegas

O prefeito de São Bento do Una, Padre Aldo (PMDB), embarca, hoje, para Brasília e se engaja ao protesto dos gestores municipais pelo corte de recursos do FPM – Fundo de Participação dos Municípios. Mas, diferente dos demais colegas que fecharam as portas dos seus gabinetes ontem, Aldo não aderiu. “Não fui eleito para isso. A saída está em Brasília”, desabafa.

Falta apoio

Os apicultores do Araripe, maior região produtora de mel do País, estão à espera do apoio do Governo do Estado para beneficiar o produto. Parte do maquinário chegou e está intocado num prédio da Secretaria de Agricultura há mais de dois anos. Por falta de estrutura, os produtores de mel exportam o produto in natura para o Ceará, Estado vizinho.

CURTAS

NOS ANAIS– A Câmara de Vereadores aprovou, ontem, a inclusão nos Anais da Casa do artigo “Josezito, um político que não sabia o que era medo”, de autoria deste blogueiro, publicado ontem neste blog e na Folha de Pernambuco. Foi uma homenagem ao ex-deputado Josezito Padilha, brizolista ardoroso, representante do Pajeú na década de 70.

AGRADECIMENTO– Enquanto estive fora, na missão de documentar e mostrar os estrados da seca nos rincões pernambucanos, esta coluna foi tocada pelo talentoso jornalista Thiago Lins, da equipe deste blog, que mostrou que sabe das coisas.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Na interinidade, João Lyra fará algum gesto para o prefeito José Queiroz, desafeto da sua Caruaru?

Coluna de Magno – 10/11/2012

Capital eleitoral

A divulgação do orçamento das campanhas para a Prefeitura do Recife, feita na quinta-feira pelo TSE, mostrou a receita gorda do prefeito eleito, Geraldo Julio (PSB): mais de R$ 7 milhões, contra menos de R$ 3 milhões de Humberto (PT), que teve o segundo maior caixa.

É fato que ninguém ganha uma disputa política sem dinheiro. Porém, atribuir uma vitória política exclusiva ou principalmente a dinheiro é precipitado e reducionista. No livro Freakonomics – O lado oculto e inesperado de tudo o que nos afeta, os escritores Steven Levitt e Stephen Dubner levantam uma questão pertinente: o dinheiro é responsável pelos votos de um candidato ou é o magnetismo do candidato que é responsável pelos votos e pelo dinheiro?

Magnetismo não é algo que se mensure: a política nunca foi uma ciência exata. Contudo, interpretações podem levar a crer que os votos, ou melhor, a simpatia do eleitor, podem chegar antes do dinheiro. Nos EUA, em 2008, Barack Obama arrecadou US$ 747,8 milhões, recorde que atingiu principalmente por causa de pequenas doações (de eleitores), que voltaram a ser determinantes, ainda que num grau menor, em 2012. Embora não tenha mais o status de mito que alcançou em 2008, Obama ainda é um ícone viral.

E o fator viral nada mais é do que uma reedição do bom e velho boca a boca, sendo este mais próximo da nossa vida severina. Guardadas as devidas proporções, a vitória de Sebastião Dias (PTB), em Tabira, no Sertão do Pajeú, representa outro caso emblemático. Durante a disputa, Dias trabalhou duro para contar as muitas notas – de nada mais do que R$ 2 – que municiaram sua vitoriosa campanha.

Dinheiro conta sim, se essa é a pergunta. Mas, seja no Sertão ou na América, os casos mostram que a força dos laços pode ser determinante. Isso também constitui um capital, só que eleitoral – e inestimável.

 

Puxando o freio – Durante almoço no Palácio do Alvorada, anteontem, com a presidente Dilma Rousseff (PT), o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), tentou pôr um freio no PMDB. Gomes afirmou que, caso os peemedebistas fiquem com as Presidências da Câmara e do Senado, os cargos já estariam “de bom tamanho”. O governador foi além, defendendo que em 2014 o PSB deveria ocupar a vaga de vice numa chapa com Dilma, sendo Eduardo Campos o mais indicado. Cotado para disputar a Presidência em 2014, nem Eduardo escapa da “manobra de frenagem” de Cid.

Entendimento político – Apesar de elogiar o governador Eduardo Campos, o deputado federal Augusto Coutinho (DEM) não acredita numa fusão com o PSB. Na avaliação do democrata, poderia haver apenas um “entendimento político” entre as duas legendas. “Tudo tem que ser feito no momento certo. Não podemos perder a coerência dos fatos”, avisou Coutinho, em entrevista à Rádio Folha, ontem.

Crise – Como mostrou o blogueiro na reportagem da série sobre a seca, ontem, a estiagem dizimou a produção de mel em Araripina. A atividade, até então uma das mais rentáveis do município, rendeu apenas 300 toneladas do começo do ano até agora. Bem menos do que no ano passado, quando a produção atingiu 2100 toneladas. Já em Exu, a festa do centenário de Gonzagão pode perder o brilho. Lá, proprietários não têm conseguido alugar seus imóveis, que seriam ocupados durante o evento.

Exceção – Em Alagoas, a viagem do governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) ao Canadá, acompanhado pelo seu vice, José Thomaz Nonô (DEM), gerou uma situação excepcional. O Governo seria assumido interinamente pelo presidente da Assembleia Legislativa daquele Estado, Ferando Toledo (PSDB), que está doente. O cargo então foi assumido pelo presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, Sebastião Costa. O governador e o vice foram ao exterior em busca de projetos para a área de agricultura.

CURTAS

Bem na foto – O Jornal de Brasília apontou o prefeito reeleito de Petrolina, Julio Lóssio (PMDB), como um dos nomes para disputar o Governo do Estado em 2014.

Nova reforma – Defensor da regulação da mídia e da reforma do Judiciário, José Dirceu (PT) pode ter que mudar de foco. Condenado, deve se preocupar mais com a reforma do sistema penitenciário.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – O que Cid Gomes pretende frenando o vôo de Eduardo?

Thiago Lins (Interino)

Coluna de Magno – 09/11/2012

Os agravantes da Seca

Não bastassem as condições meteorológicas, que propiciaram a maior seca dos últimos 50 anos, prefeitos do Sertão ainda se queixam de agravantes, que não se resumem à queda do Fundo de Participação dos Municípios. Na segunda-feira (05), o prefeito eleito de Serra Talhada, Luciano Duque, acusou o IPA (Instituto Agrônomo de Pernambuco) de negligência, afirmando, ainda, que teria sido feito uso político do órgão, supostamente responsável pela perfuração de poços sem necessidade nem critério.

O prefeito de Triunfo – cidade cuja situação crônica também foi relatada pelo blogueiro na série de reportagens -, Luciano Bonfim (PR), por sua vez, enviou nota ao blog ontem, externando sua insatisfação em relação à Secretaria de Agricultura do Estado e ao próprio IPA. “Não temos sequer um carro pipa do Governo do Estado”, afirmou Bonfim, no texto. O republicano ainda acusa o secretário de Agricultura do Estado, Ranilson Ramos, de ter prometido seis poços artesianos para o município, que até o momento não foram perfurados nem locados. A Prefeitura de Triunfo deve R$ 100 mil relativos apenas a abastecimento de água. Bonfim afirma que não tem como saldar a dívida, devido ao corte no FPM.

O gerente do IPA em Serra Talhada, Fernando Nogueira, já saiu em defesa do órgão, alegando que todas as ações do instituto são geo-referenciadas. Enquanto isso, Ranilson Ramos segue bem cotado para substituir Romário Dias no Tribunal de Contas do Estado. Dias só se aposenta em maio, conferindo tempo hábil a Ramos para que o secretário consolide ações à frente da pasta: deixar a Secretaria em meio à maior seca dos últimos 50 anos seria suicídio político.

Hoje, o Governo Federal deve anunciar um conjunto de medidas para combater a estiagem, durante a reunião da Sudene, em Salvador (BA), onde estarão presentes a presidente Dilma Rousseff (PT) e governadores do Nordeste, entre eles Eduardo Campos (PSB), de Pernambuco. Mas o anúncio que os sertanejos mais querem não deve sair hoje: o de chuva.

 

Neopopulista 1 – Após a ordem de entrega dos passaportes, o ex-ministro José Dirceu divulgou nota acusando Joaquim Barbosa de “populismo jurídico”. Isso depois do relator ter começado a receber tratamento de pop star nas ruas. Os mais entusiasmados querem Barbosa na Presidência da República em 2014. Populista ou não, o fato é que Barbosa já é bem popular.

Neopopulista 2 – Tão popular que ganhou até site, num endereço oportuno: www.joaquimbarbosapresidente.com.br. Isso mesmo. Pode parecer curioso e ter sido feito de brincadeira, mas o site não aponta amadorismos. Conta com biografia, fotos, charges, depoimentos e até um botão para baixar adesivos. No botão de contato, não é revelado quem são os responsáveis pela manutenção do site. É oferecido apenas um cadastro para ter acesso às notícias “do homem que está mudando o Brasil”.

Rolo compressor – No Rio, nada menos do que 99% dos municípios serão geridos por partidos da base de apoio à Presidente Dilma Rousseff. O Estado comandado pelo aliado Sérgio Cabral (PMDB) será então o mais governista do Brasil. Na capital, o PMDB reelegeu Eduardo Paes no primeiro turno, com a maior votação do País, além de ter ganhado em grandes municípios da Baixada Fluminense. O partido vai governar nada menos do que 55% do eleitorado do Estado. Contudo, o cenário não garante uma solução favorável ao Estado no caso dos royalties. A conta vai chegar cara.

Eduardista – Cacifado após a eleição de 25 prefeitos no Estado, ficando atrás apenas do PSB de Eduardo Campos, o senador Armando Monteiro (PTB) é um dos nomes ventilados para a Presidência Nacional do seu partido. Números à parte, o Planalto quer outro nome: o senador Gim Argello (DF). Isso porque Armando poderia abrir portas para Eduardo em 2014.

CURTAS  

Recorde seco – Em reportagem feita para a série sobre a seca, ontem, o blogueiro esteve em Serrita, onde constatou a morte de mais de 200 animais, em menos de 40 dias, numa única fazenda, a de Djalma Cidrim. Um recorde que ninguém que ver batido.

PDMB no comando – No jantar da terça-feira, com líderes do PT e do PMDB, Dilma sinalizou que, no que depender dela, as Presidências do Senado e da Câmara devem ficar com o PMDB.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – José Dirceu manteria a influência no PT mesmo preso?

Thiago Lins (Interino)

Coluna de Magno – 08/11/2012

Os suspiros do DEM 

A situação dos Democratas em Pernambuco não é tão diferente da que o partido encara no resto do País: desidratado, tendo eleito apenas um prefeito (Felipe Porto, em Canhotinho) em todo o Estado. Suas lideranças começam a apontar alternativas para que o partido recupere terreno. O deputado federal Augusto Coutinho, em entrevista esta semana ao programa Ponto Final, colocou uma fusão com o PMDB como uma “preferência pessoal”.

Antes das eleições, eventuais fusões já eram consideradas pelo partido, principalmente após a cassação de Demóstenes Torres, que foi quase um golpe de misericórdia no DEM. À época, outro grupo já cogitava se unir com o PSDB, alternativa que ainda é defendida principalmente por alguns democratas em São Paulo. Chegou a ser ventilada, ainda, uma aliança com o PTB de Roberto Jefferson.

Com apenas dois prefeitos eleitos nas capitais – João Alves, em, Aracaju, e ACM Neto, em Salvador -, a almejada renovação do DEM vai ter que esperar. O próprio ACM Neto assumirá uma cidade em crise e carrega as iniciais do avô coronel, ao passo em que o único prefeito eleito pela legenda em Pernambuco é sobrinho de Álvaro Porto, atual gestor de Canhotinho.

O DEM já mudou de nome numa sacada marqueteira, que camuflou as raízes conservadoras do antigo PFL. Mas não mudou seus sobrenomes, seu DNA político. Mudar os ares do partido, portanto, deve ser ainda mais difícil.

Diálogo – O vereador Osmar Ricardo (PT) atribuiu à falta de diálogo a derrubada dos vetos do prefeito João da Costa, na Câmara, na última segunda-feira (05). Ricardo admitiu que deve haver mais diálogo entre os parlamentares e o prefeito, em entrevista à Rádio Folha anteontem. De fato. O problema é que falta diálogo até no PT.

Jeitinho brasileiro – O encerramento da entrega de prestações de contas, na última terça-feira, foi marcado por filas no cartório da 148º Zona Eleitoral, onde a distribuição de fichas seguiu até as 19 horas. Os ex-candidatos, entre eleitos e derrotados, amargaram até uma hora de espera. É o preço por deixar para a última hora.

Rigor na OAB – A impugnação da candidatura de Emerson Leônidas, na disputa pela presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Pernambuco, se deu em virtude de suposta utilização de propaganda irregular num outdoor (que estaria situado fora da área de seu comitê, violando a regra da comissão da entidade). O advogado, em sua defesa, alegou com fotos que a placa se situaria no terreno do comitê, atribuindo a cassação a “interesses”. Interpretações à parte, a OAB tem sido um ator combativo contra a corrupção, de maneira que o rigor cai bem à Ordem. Já possíveis excessos devem ser levados em conta pelos Conselhos Federal e Estadual do órgão, aos quais Leônidas pode recorrer.

Transposição – Na reportagem de ontem sobre a seca, da série que o blogueiro vem desenvolvendo desde segunda-feira (05), sertanejos de Custódia relataram que as obras da Transposição estão praticamente paradas. A Transposição, que poderia ter sido um grande feito do Governo Lula, virou um estorvo – para o Governo Dilma.

CURTAS

Homem de partido – José Dirceu tem dito a amigos que não foi o chefe do mensalão. Atribui a responsabilidade a dois ex-ministros e um advogado, cujos nomes não foram revelados. Contudo, não considera a delação premiada, para preservar o PT.

A imagem de executivo de sucesso pegou mal para o republicano Mitt Romney, que perdeu a eleição presidencial americana para o democrata Barack Obama. Em crise, os americanos não queriam um nome ligado a grandes corporações no poder, uma vez que culpam as mesmas pela má fase dos Estados Unidos.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Quem serão os verdadeiros chefes do mensalão, segundo José Dirceu?

Thiago Lins (interino)

Coluna de Magno – 07/11/2012

Esse tal pacto federativo

O novo pacto federativo, que consiste basicamente numa nova divisão de competências entre União, Estados e municípios, é a bola da vez no discurso do governador Eduardo Campos (PSB). De olho nos dividendos eleitorais que uma eventual redistribuição de recursos pode trazer, o tucano Aécio Neves, outro nome cotado à Presidência em 2014, também já tinha encampado a tese, como vem fazendo questão de deixar claro.

Embora essa discussão tenha sido levantada ainda por Itamar Franco, quando governava Minas (1999-2003), o assunto foi requentado após as eleições municipais. Passado o pleito, à medida que a imprensa tentava virar a página rumo a 2014, Eduardo , à sua maneira, despistou colando outra pauta: o tal pacto federativo.

O Senado, por sua vez, já criou uma comissão para propor novas regras nas relações fiscais entre as esferas, que rendeu um relatório entregue ao presidente da Casa José Sarney (PMDB). O trabalhista Armando Monteiro, que acompanhou a entrega do documento, admitiu que o País hoje tem um “federalismo predatório”.

Por último, os prefeitos, cujos orçamentos sufocados demandam maior urgência numa eventual redistribuição de fundos, têm sido mais objetivos. O próprio Eduardo se reúne, em Janeiro, com os 184 prefeitos eleitos do Estado. Um deles, Lourival Simões (PR), de Petrolândia, arriscou: “Quem abraçar a causa dos municípios, hoje falidos por causa de Dilma, tem amplas chances de chegar a ser presidente”, disse, em entrevista ao blogueiro.

Eduardo vem defendendo que a dicussão sobre o novo pacto é mais importante do que 2014. Interpretações à parte, o assunto deve ser, no mínimo, determinante para o seu vôo.

Violeiro 1 – A vitória heroica de Sebastião Dias (PTB) em Tabira, onde derrotou um oligarquia munido de poesia, viola e um magro caixa de campanha, tem repercutido. Depois da notícia aqui no blog ainda em outubro, o Jornal do Commercio fez uma matéria com o trabalhista. Domingo, foi a vez do Globo, do Rio, dedicar espaço ao único repentista eleito prefeito no Brasil.

Violeiro 2 – Na eleição, Sebastião derrotou o atual prefeito de Serra Talhada, Dinca Brandino (PSB). Na campanha, o socialista afirmava que, caso se elegesse, ia comprar todas as violas do município para quebrar em frente à casa do poeta. Derrotado, Brandino agora teima em não colaborar com a transição. O prefeito tem até sexta-feira (09) para entregar os documentos do processo. Caso contrário, o Ministério Público pode ingressar com ação de improbidade administrativa contra Brandino.

O Serra do PT – Em entrevista à CBN ontem, o deputado Fernando Ferro (PT), proferiu uma pérola, definindo Humberto como “o Serra do PT”, por entender que o senador quis “dominar a política do partido”, numa atitude kamikaze determinante para a derrota do PT no Recife. Contudo, à época do pleito a candidatura de Humberto era colocada como uma imposição da Executiva Nacional do partido. Humberto, então, afirmava ter recebido uma missão, e não propriamente buscado.

Dirceu ataca novamente – O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, agora condenado no julgamento no Mensalão, voltou a centrar fogo no governador Eduardo Campos (PSB). Em seu blog, Dirceu colocou como “justa” a aspiração à Presidência, nutrida pelo governador, mas não deixou de alfinetar o socialista. “Por enquanto (Eduardo) se alia tanto ao PT como ao PSDB, entre outros (como fez na eleição deste ano), desde que o PSB cresça e se expanda. Esse é o jogo”, disparou o ex-ministro.

CURTAS

Reaproximação – Foi escolhida uma data emblemática para a próxima reunião entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e o governador Eduardo Campos (PSB): o próximo dia 14.

Vote onde puder – A prioridade dos nova iorquinos, em meio ao cenário caótico da megalópole, ainda é se proteger da frente fria que voltou a avançar ontem de noite. Para abrandar o impacto nas eleições, o governador Andrew Cuomo baixou uma ordem para que os desabrigados possam votar na zona mais próxima.

PERGUNTAR NÃO OFENDE – Quando o PT vai começar a discutir o novo pacto?

Thiago Lins (interino)