Vaticano confirma carta do papa a Temer com apelo pelos mais pobres

Papa-Temer

O Vaticano confirmou a informação de que o Papa Francisco enviou uma carta privada ao presidente Michel Temer, com um apelo pelos pobres do Brasil. A notícia, e parte do conteúdo da correspondência, vinham sendo divulgados por alguns meios de comunicação brasileiros desde segunda-feira (17). Mas somente na noite desta terça (18) a Santa Sé confirmou o envio.

De acordo com o Vaticano, a carta foi enviada “dias atrás” em caráter privado. Trata-se de uma resposta do papa a uma missiva de Temer, na qual o presidente convidava Francisco a visitar o Brasil em outubro deste ano por ocasião dos 300 anos do achado de N. Sra. Aparecida.

Na correspondência, Francisco ressaltou ao presidente a necessidade de “trabalhar pela promoção dos mais pobres”. Disse também que infelizmente não poderia vir ao Brasil neste ano “porque outros compromissos não lhe permitiam”.

Trechos divulgados – Alguns meios de comunicação brasileiros, entre eles o blog do jornalista Gerson Camaritti, da Globo News, divulgaram alguns trechos da carta que não foram desmentidos pelo Governo Federal. Num deles, Francisco fala da crise no Brasil.

“Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, escreveu.

Entretanto, Francisco não se esquivou de fazer uma reflexão sobre a situação social do país. “Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”.

O Papa também citou a primeira exortação apostólica que ele escreveu, intitulada “A Alegria do Evangelho”. No texto aos católicos, o Francisco afirmou que “não podemos mais confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado” e lembrou que o crescimento equitativo exige algo mais do que o crescimento econômico.

Analistas ressaltam que o texto surge em um momento em que o governo Temer tenta aprovar reformas econômicas para garantir a confiança do mercado econômico, mas que deixam preocupados movimentos sociais e, inclusive, a CNBB.

Contudo, na carta o Papa evitou tomar posição partidária. Segundo o comunicado oficial do Vaticano, a reflexão do papa sobre os problemas sociais do Brasil surgiram porque “próprio Presidente Temer em sua carta fazia referência a seu compromisso no combate aos problemas sociais do país”.

Na correspondência, Francisco teria recordado ainda que reza pelo Brasil, e – segundo meios de comunicação brasileiros – lembrou a oração feita diante de um monumento dedicado à N. Sra. Aparecida, inaugurado no ano passado no Vaticano. Na ocasião o papa disse que o Brasil passava por um “momento triste”. 

Contra a corrupção e a violência – No último domingo (16), em pronunciamento na Bênção Urbi et Orbi, em Roma, o Papa fez uma oração especial pelos países da América Latina. Pediu o fim das “tensões políticas e sociais que, nalguns casos, desembocaram em violência. Que seja possível construir pontes de diálogo, perseverando na luta contra o flagelo da corrupção e na busca de soluções pacíficas viáveis para as controvérsias, para o progresso e a consolidação das instituições democráticas, no pleno respeito pelo estado de direito”.

[T] Diocese de Juazeiro

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *